Princípios Fundamentais de Pilates

O Pilates tem como base 5 princípios fundamentais. Durante as aulas, o seu instrutor falará dos mesmos, não só a nível da prática física, mas também o incentivará a incorporá-los como filosofia ou a praticar os mesmos fora das aulas, no seu dia a dia.

Respiração
A respiração é um dos princípios fundamentais do Pilates e um dos primeiros que vai ouvir do seu instrutor.
Tudo começa pela respiração. Deve inspirar profundamente pelo nariz e expirar calmamente pela boca. O seu instrutor de Pilates dar-lhe-á dicas de respiração em vários exercícios e apontará os benefícios de uma respiração correcta, quer durante a prática, quer durante o seu quotidiano. 
O principal músculo respiratório é o diafragma. Quando inspiramos, ele contrai e baixa, o que permite aos pulmões expandirem-se e deixar o ar entrar. Ao expirar, o diafragma volta à sua forma inicial e o ar é expelido.
Em Pilates, praticamos 4 tipos de respiração, cada um deles vocacionado para os diversos tipos de exercícios praticados. As técnicas de respiração vão aumentar a mobilidade do diafragma, aumentar a capacidade dos pulmões e ajudar na concentração e no relaxamento.

Concentração
A concentração é a capacidade de focar a mente no que estamos a fazer e não desviar o pensamento.
Se não estivermos concentrados nos exercícios que estamos a fazer, eles perdem metade da sua força ou impacto, uma vez que não podemos garantir os resultados que pretendemos obter.
Há imensos factores que nos impedem de manter a concentração e nem sempre vamos estar absolutamente concentrados ao praticar Pilates. O importante é ter essa consciência e voltar a concentrar-se nos exercícios e na sua postura. E claro, em si. Uma aula de Pilates é um espaço onde estará a trabalhar o seu corpo de dentro para fora e só o estará a fazer por si. 

Controlo
Quando surgiu inicialmente, o Pilates era chamado de Contrologia, ou seja, a capacidade de controlar o corpo com a mente. O seu fundador, Joseph Pilates defendia que "é a mente que controla o corpo" e que todos os movimentos e exercícios devem ser feitos com consciência e controlo.
Controlar o seu corpo em Pilates significa fazer os exercícios respeitando a postura correcta, a respiração, a precisão dos seus movimentos e a fluidez dos mesmos. Cada passo do exercício do exercício deve ser feito correctamente, respeitando o encadeamento dos movimentos. O importante nos exercícios de Pilates não é o número de repetições que faz, mas a perfeição com que os executa.

Fluidez dos movimentos
Em Pilates, todos os movimentos são executados de forma lenta e controlada, ao ritmo da respiração. Assim sendo, um exercício implica movimentos contínuos e fluidos, encadeados uns nos outros para que seja perfeito.

Precisão
Directamente ligada ao princípio da concentração, a precisão implica que haja uma coordenação perfeita de cada movimento. Para além de evitar o risco de lesões e acumulação de tensão noutras partes do corpo, a precisão permite trabalhar o corpo de forma correcta. 


Á medida que avançar na prática da modalidade, irá conhecer e aplicar outros príncipios fundamentais igualmente importantes, como o equilíbrio, a rotina e a simetria.

Pelos seus óbvios benefícios para o corpo e para a mente, o Pilates deverá ser encarado como uma das práticas do seu dia a dia.
Da mesma forma que arranja todos os dias tempo para tomar banho, tomar o pequeno-almoço, ir ao supermercado e trabalhar, deve guardar algum tempo do seu dia para praticar Pilates. Se não conseguir ir ás aulas todos os dias, peça ao seu instrutor um plano de exercícios que possa fazer em casa, ainda que apenas durante 15 minutos. Ao levantar-se de manhã, guarde algum tempo para se espreguiçar e alongar o seu corpo.
Procure incorporar no quotidiano os princípios de Pilates e lembre-se de manter as costas direitas, o abdominal contraído, respira profunda e calmamente e faça os seus movimentos mais rotineiros de forma fluida e precisa. Irá sentir-se melhor e estará a praticar Pilates, mesmo que não vá à aula nesse dia.

Enviar um comentário